ESPECIALIDADES | PLÁSTICA E VIAS LACRIMAIS

Especialidade que trata as deformidades e anormalidades das pálpebras e sistema lacrimal.

PTOSE PALPEBRAL (PÁLPEBRA CAÍDA)

Termo médico para se referir à queda da pálpebra superior. Pode acometer apenas um olho ou ambos. Pode ser uma doença congênita, quando a criança já nasce com a pálpebra caída, ou adquirida ao longo da vida.

Essa característica pode ser associada à síndrome de Horner, ou há outros fatores, como trauma ocular, o uso de lentes de contato e histórico familiar. 

O único tratamento é a cirurgia da pálpebra.

DERMATOCÁLASE (EXCESSO DE PELE PALPEBRAL)

É uma dobra excessiva dos tecidos da lamela anterior da pálpebra. Primeiramente, resulta um aspecto de cansaço e envelhecido, que se acentua no final do dia ou após uma noite mal dormida.

Quando se torna muito acentuado, dificulta a abertura palpebral pelo seu peso e, numa fase avançada, causa redução do campo visual superior.

ENTRÓPIO (PÁLPEBRA VIRADA PARA DENTRO)

Doença em que a pálpebra se dobra para dentro (invertida), fazendo com que os cílios irritem o globo ocular, podendo dar origem a uma úlcera e cicatrizes na córnea.

ECTRÓPIO (PÁLPEBRA VIRADA PARA FORA)

Doença em que a pálpebra se dobra para fora (evertida) de modo que sua borda não entra em contato com o globo ocular. Tal condição impede que as lágrimas se espalham sobre o globo ocular.

TUMORES PALPEBRAIS

As pálpebras podem acometer lesões tumorais tanto benignas quanto malignas e, quanto mais precoce o tratamento, maiores as chances de cura. 

As causas são inúmeras, mas fatores genéticos e radiação solar são os principais fatores de risco para as doenças.

BLEFAROESPASMO (PISCAR INVOLUNTÁRIO DAS PÁLPEBRAS)

Conhecida como tique nervoso, a blefaroespasmo faz com que a pálpebra fique tremendo constantemente. Se necessário, o tratamento pode ser realizado por meio de injeções de Botox. A indicação ocorre porque a toxina botulínica paralisa o músculo.

OBSTRUÇÃO E INFECÇÃO DAS VIAS LACRIMAIS

A obstrução adquirida das vias lacrimais causa desconforto, lacrimejamento e secreção em adultos, e nesses casos, o tratamento é cirúrgico para que não ocorra infecções.