ESPECIALIDADES | SEGMENTO ANTERIOR

Especialidade que trata doenças oculares relacionadas ao segmento anterior do olho. O segmento anterior ou cavidade anterior inclui as estruturas em frente do humor vítreo: córnea, íris, corpo ciliar e lente.

CATARATA

É definida como qualquer opacificação do cristalino que atrapalhe a entrada de luz nos olhos, acarretando diminuição da visão. As alterações podem levar desde pequenas distorções visuais até à cegueira.
Inúmeros fatores de risco podem provocar ou acelerar o aparecimento de catarata, como medicamentos (esteroides), substâncias tóxicas (nicotina), doenças metabólicas (diabetes mellitus, entre outros).

CÓRNEA

A córnea compõe parte anterior do globo ocular e, juntamente com a esclera, compõe a parte fibrosa e protetora do olho. A boa visão é consequência da transparência desta estrutura. Várias doenças oculares podem debilitar a córnea, causando a perda de sua transparência, ou irregularidade de sua forma ou superfície, por exemplo: Ceratocone em estágio avançado, trauma no olho, infecções, queimaduras por substâncias químicas, enfermidades congênitas ou outras causas.

CERATOCONE

É uma doença que atinge principalmente pessoas entre os 15 e 25 anos, mudando a forma da córnea a deixando no formato de cone. A principal causa é o hábito de coçar os olhos e os sintomas variam de acordo com o grau da doença. Podemos classificar os tratamentos para ceratocone da seguinte forma: Casos leves a moderados: óculos e lentes de grau. Casos moderados a graves: crosslinking e anel intracorneano (anel de Ferrara). Casos severos: transplante de córnea.

GLAUCOMA

É uma doença ocular que provoca lesão no nervo óptico e campo visual, podendo levar à cegueira. Na maioria dos casos, vem acompanhado de pressão intraocular elevada, mas pode ocorrer glaucoma de “baixa pressão”.

Ele pode ser congênito, secundário ou crônico.

UVEÍTES

A uveíte ou uveítes são um conjunto de doenças nos olhos, decorrente de uma inflamação do trato uveal ou da úvea, e que corresponde a três estruturas: íris, corpo ciliar e coróide. A uveíte pode ser classificada por meio de sua localização no olho como anterior (na frente), intermediária (no meio), posterior (no fundo) e pan-uveíte (difusa e acometendo todo o olho). A área afetada se diferencia por prováveis causas, diagnóstico e sintomatologia. Os sintomas são: Hiperemia (olho vermelho), fotofobia (sensibilidade à luz), dor, visão turva, embaçada e pequenos pontos escuros que se movimentam. O tratamento das uveítes se faz, na maioria dos casos, através de medicação (oral e colírios), raramente intraocular. O diagnóstico é importantíssimo, visto que, a uveíte quando não tratada, pode causar danos irreversíveis a visão.