SERVIÇOS | EXAMES

O IBOL possui o que há de mais avançado em recursos para a detecção de problemas oculares. São equipamentos de última geração que atendem tanto exames de rotina quanto complexas doenças oftalmológicas, com todos os procedimentos realizados por médicos especialistas. 

Expertise e tecnologia se unem para compor a qualidade diagnóstica IBOL.

ABERROMETRIA WAVE FRONT

Analisa em detalhe o grau real do olho, identificando outras distorções da refração além daquelas de primeira e segunda ordem (miopia, hipermetropia e astigmatismo).

ACUIDADE VISUAL POTENCIAL À LASER (PAM)

Avalia o potencial de visão do paciente. É indicado para todo paciente que, por alguma razão, não alcance boa visão ao exame de refração. É realizado principalmente em pacientes que irão submeter-se à cirurgia de catarata.

ANGIOGRAFIA FLUORESCEÍNICA

Avalia a circulação dos vasos e artérias principalmente da coroide, mas também da retina e alterações que possam ocorrer no epitélio pigmentado retiniano.

ANÁLISE DE CAMADA DE FIBRAS NERVOSAS (HRT)

Este exame é um laser de baixa potência capaz de detectar falhas na camada de fibras mais precocemente que outros métodos de diagnóstico. Permite, principalmente, acompanhar a evolução do glaucoma através de análises seriadas de progressão.

ANGIOGRAFIA COM INDOCACINA VERDE (ICG)

Estudo fotográfico dos vasos retinianos e coroidianos, nervo óptico e assoalho retiniano, através da injeção de um corante na veia. O corante não contém iodo.

AVALIAÇÃO DE SENSO CROMÁTICO

Várias doenças podem comprometer a percepção das cores que são analisadas através de testes específicos (Ishihara, HRR). Defeitos congênitos (como daltonismo) e doenças do nervo óptico causam confusão no eixo verde/vermelho e doenças adquiridas na mácula tendem alterar a percepção de azul/amarelo.

AVALIAÇÃO DE VISÃO SUBNORMAL

É uma avaliação que inclui vários testes e exames que permitem o diagnóstico preciso da visão subnormal. Considera-se com visão subnormal, a pessoa que apresenta 20% ou menos do que chamamos visão normal.

BIOFOTOGRAFIA

Fotografia e filmagem da córnea.

BIOMICROSCOPIA ULTRASSÔNICA (UBM)

Avaliação através de ultrassonografia das estruturas que compõem o segmento anterior.

CAMPO VISUAL GOLDMAN

É o exame do campo visual realizado com o campímetro manual (Goldmann). Permite um exame detalhado do campo visual periférico, o que não é possível com os aparelhos computadorizados.

CAMPO VISUAL COMPUTADORIZADO

Avalia o campo de visão dos pacientes. O exame consiste em apresentar estímulos luminosos em diferentes regiões do campo de visão para que sejam detectados pelo paciente.

CERATOMETRIA

É um exame que determina a curvatura da córnea em sua região central, tomando como base dois eixos ortogonais entre si em 90°. Identifica o eixo e o grau do astigmatismo.

CICLO FOTOCOAGULAÇÃO TRANSESCLERAL

Procedimento a laser para tratamento do glaucoma que objetiva destruir parte do corpo ciliar, estrutura do olho que produz o humor aquoso. Com isso, a produção de humor aquoso diminui a pressão intraocular.

CRIOTERAPIA

É o resfriamento local dos tecidos ou regiões com finalidade terapêutica. O principal objetivo é reduzir a atividade metabólica de modo que o órgão ou tecido que tenha lesão grave não receba irrigação suficiente, e assim adquira melhores possibilidades de recuperação.

CURVA TENSIONAL NICTEMÉRICA (CTN)

Indicado no diagnóstico do glaucoma. O exame consiste em 5 a 6 medidas da pressão ocular realizadas durante o dia.

ECOMETRIA (IOL MASTER)

Realiza a topografia da córnea e a biometria mais precisa do que a biometria ultrassônica. Calcula automaticamente a lente que deverá ser implantada durante a cirurgia.

ELETROFISIOLOGIA OCULAR

Esse exame tem três componentes distintos: Eletrorretinograma (ERG), o Eletrooculograma (EOG) e o Potencial Visual Evocado (PVE). Estes exames estudam e fazem o registro da atividade elétrica provocada pela luz no olho.

ELETRORRETIROGRAMA (ERG) E ERG MULTIFOCAL (*)

É um exame que permite estudar a resposta da retina a estímulos luminosos. Compõe o exame Eletrofisiologia Ocular. (Somos o único centro oftalmológico no Rio de Janeiro que realiza este exame).

ELETRO OCULOGRAMA (EOG)

É um exame que avalia a vitalidade de certas camadas da retina, como o epitélio pigmentar e fotorreceptores. É parte do exame de Eletrofisiologia Ocular.

Estereofoto de Papila

É o registro fotográfico de alterações de disco óptico ou papila.

EXERCÍCIO ORTÓPTICO

Os exercícios ortópticos são como uma fisioterapia ocular. São indicados após a realização do Teste Ortóptico e podem ser feitos no consultório e/ou em casa.

exoftalmometria

Permite a medida do grau de saliência dos olhos em relação à órbita. Importante em inúmeras doenças orbitárias que causam protusão dos olhos (Exoftalmia), como tumores, varizes orbitárias e oftalmopatia de graves.

Fototerapia Dinâmica (PDT)

Um tratamento recente que utiliza um laser especial (laser frio), associado à injeção de um contraste muito potente (Verteporina). A terapia fotodinâmica está indicada no tratamento de vasos anormais (neovasos) que aparecem no fundo do olho em algumas doenças, principalmente na degeneração macular relacionada à idade.

Fotografia Clínica

Uso da fotografia para documentação e acompanhamento de casos clínicos.

Gonioscopia

Mostra qual o aspecto do ângulo formado entre a córnea e a íris. É importante para definir qual o tipo de glaucoma e determinar a estratégia de tratamento. Além disso, é indicado para estudo de tumores de íris, de trauma ocular ou suspeita de outras anormalidades.

Laser Amarelo em Micropulso

Utilizado para tratar doenças retinianas com mínimo dano à retina, principalmente em casos de coriorretinopatia serosa central.

Laser de Argônio

A Fotocoagulação a Laser é utilizada no tratamento de problemas retinianos, como a retinopatia diabética.

Laser Diodo

É utilizado em procedimentos de fotocoagulação transescleral, no tratamento de retinopatia da prematuridade e em outras aplicações semelhantes.

Mapeamento Retiniano

Permite a análise de todas as estruturas da retina, nervo óptico e vítreo, inclusive alterações na periferia da retina. Muito importante em pacientes míopes, mais suscetíveis a degenerações periféricas, diabéticos, hipertensos e naqueles com queixas de moscas volantes ou fotopsia.

Microcirurgias oculares em Day Clinic

O Day Clinic é perfeito para pacientes que tenham realizado cirurgias de rápida recuperação. As microcirurgias oculares não exigem internação: o paciente volta para casa no mesmo dia.

Microscopia Especular (sem contato)

Através de um aparelho computadorizado e de não-contato ocular, avalia-se a camada mais importante da córnea, chamada de endotélio corneano. É importante como exame complementar no pré e pós-operatório de catarata, cirurgias refrativas, uso de lentes de contato e doenças corneanas.

Oftalmodinamometria

Exame para mensuração da pressão sanguínea na circulação da retina.

Paquimetria (óptica, ultrassônica)

Consiste na medida da espessura corneana para planejar a cirurgia de miopia, astigmatismo e hipermetropia, além de avaliar a evolução da espessura corneana em doenças da córnea.

Potencial Visual Evocado (PEV)

Compõe o exame Eletrofisiologia Ocular.

Refração computadorizada

É um exame que de forma muito aproximada nos quantifica a refração de um paciente. Toma como dados a distância ântero-posterior de um olho, a curvatura da córnea e os índices de refração dos meios como córnea, cristalino, humores aquoso e vítreo. Tem como variável a acomodação do paciente.

Tela de Amsler

É um teste para avaliar se o paciente é portador de alterações na mácula, tração e cicatrizes. Solicita-se ao paciente que fixe seu olhar um ponto central de um conjunto de linhas quadriculadas. Se enxergar as linhas onduladas ou com falhas é sinal de alterações na mácula e exames adicionais são necessários.

Termoterapia Transpupilar (TTT)

É uma técnica de laserterapia em que o calor é liberado lentamente para a coróide e epitélio pigmentado da retina (EPR) através da pupila utilizando um laser de diodo.

Teste de Lente de Contato

Conjunto de exames que envolve o teste com lentes de prova para selecionar a lente de contato mais adequada para cada paciente. A multiplicidade de qualidades de lentes de contato disponíveis no mercado requer um trabalho de adaptação de acordo com o caso: após cirurgia refrativa, para leitura, multifocais, coloridas, em ceratocone, após transplante de córnea, etc.

Teste de Rosa Bengala

Rosa bengala é um corante que é instilado no olho e que permite avaliar o grau de sofrimento das células superficiais da córnea e da conjuntiva pela baixa proteção do filme lacrimal.

Teste de Schirmer

É um teste para avaliar a produção de lágrima. Uma pequena fita de papel é colocada sob a pálpebra inferior e a quantidade de umedecimento é medida. É fundamental quando se suspeita de olho seco.

Teste de Sensibilidade ao Contraste

É um teste que analisa a qualidade da visão em diferentes níveis de iluminação. Uma redução da acuidade de contraste pode ocorrer em várias doenças oculares, como doenças da córnea, cataratas e doenças degenerativas da retina.

Teste de Sobrecarga Hídrica

É um exame auxiliar no diagnóstico do glaucoma. Através dele é simulada uma situação de sobrecarga hídrica, quando é medida a pressão ocular. Este teste detecta o valor do pico pressórico ao longo do dia.

Teste Ortóptico

Exame em que se utiliza de prismas e lentes especiais para o diagnóstico e medida dos estrabismos. Consiste basicamente em um conjunto de testes para avaliar o alinhamento dos olhos.

Teste de Visão Subnormal

Conjunto de testes que permite o diagnóstico da visão subnormal. Considera-se com visão subnormal a pessoa que apresenta 20% ou menos do que chamamos visão normal.

tomografia de coerência óptica de alta resolução (oct-3d) (*)

Permite a análise detalhada de estruturas da retina. É possível estudar também a camada de fibras nervosas e o nervo óptico, sendo útil na avaliação do glaucoma. Este exame é indicado para diversas doenças, dentre elas: maculopatia diabética, coroidopatia serosa central, degeneração macular relacionada à idade, edema de mácula e buraco de mácula.

tonometria

Consiste na avaliação da pressão intraocular e é realizada durante a consulta de rotina.

topografia corneana

É um exame fundamental na avaliação dos astigmatismos corneanos e outras alterações de superfície. É indicado para os candidatos à cirurgia refrativa, no planejamento das incisões na cirurgia de catarata e das incisões da lente intraocular tórica (posicionamento do astigmatismo).

ultrassonografia a e b

É o exame da anatomia do olho utilizando-se o ultrassom, empregando a mesma tecnologia do ultrassom fetal. É um exame fundamental quando o exame do fundo de olho é dificultado por opacidades da córnea, cristalino ou vítreo. Também é essencial no estudo de várias outras doenças oculares como tumores, doenças da coróide, esclera e órbita.

yag laser

O Yag Laser tem como grande aplicação a abertura da cápsula posterior opacificada através da limpeza da superfície da LIO. São também usadas para iridotomias periféricas em pacientes com câmara anterior rasa e em alguns casos de glaucoma. O procedimento é rápido, realizado com colírio anestésico, não necessitando de repouso. Ele  permite que o paciente retorne às suas atividades normais no mesmo dia.